Dados da Prefeitura de São Paulo estimam que a maior parte das 4 mil mulheres travestis e transexuais da capital paulista vivam em situação de rua, compondo cerca de 30% do total da população nessa situação, entre acolhidas e desabrigadas.

 

Elas passam diariamente por questões de violência e transfobia que refletem em sua autoestima. Mas a turma de maquiador do Senac Santana levou cores e sorrisos aos rostos marcados pelas experiências e vivências de mulheres travestis e transexuais.

 

Em uma ação realizada em parceria com o Centro de Acolhida Para Travestis e Transexuais Florescer (CA Florescer) e com o projeto Família em Foco Santana, os alunos participaram de palestras sobre diversidade sexual para conhecer a realidade de seu público e adequar o atendimento.

 

Em uma segunda atividade com pacientes em tratamento de câncer, participantes do Projeto Divas também ganharam um dia de beleza.

 

Nas duas ocasiões, a turma pôde colocar os conhecimentos do curso em prática. Cada estudante ficou responsável por uma cliente, elaborando croquis e fichas técnicas, além de identificar os produtos a serem utilizados e os cuidados necessários para cada tipo de pele ao realizar uma maquiagem.

 

Desafiados pelo trabalho com peles mais complexas, que necessitavam de cuidados diferenciados devido a alterações dermatológicas, os alunos buscaram a elevação do bem-estar das participantes. 

 

“Ao término do trabalho, minha cliente estava sentindo-se maravilhosa e comentou quanto a maquiagem aumentou sua autoestima. Foi uma experiência muito gratificante, porque ficamos muito felizes com as respostas após o atendimento”, contou a futura maquiadora Talita da Silva Matias.

 

Para o docente Bernardo Lins, responsável pela atividade, a experiência prática da inclusão teve um impacto real na atuação da turma no mercado de trabalho.

 

“Sempre penso no desenvolvimento além do técnico para meus alunos. Meu objetivo com a atividade foi trazer uma experiência de vida de cada participante, conhecer um pouco o universo da diversidade diminuir cada vez o preconceito dentro da sociedade. Cada aluna e cada participante que foi maquiada saiu com um outro brilho no olhar”, afirmou. 

 

“Eu vim participar como modelo deste projeto de autoestima e maquiagem, que considero muito importante por incluir todos do meio e toda diversidade em que  vivo. Podemos também mudar um pouco a rotina, mostrar que travestis e transexuais também pode ser pessoas como quaisquer outras e ter troca de experiência e conhecimento, além de uma boa conversa”, elogiou Veronica Freitas, integrante do CA Florescer.

 

Sobre os projetos 

O CA Florescer (Centro de Acolhida para Travestis e Transexuais) está localizado na Rua Prates, 1104, Bom Retiro e atualmente abriga 30 pessoas. O espaço tem o objetivo de inserção social dessa população, com um trabalho de atendimento humanizado.

 

O Família em Foco Santana está localizado na rua Doutor Zuquim, 1034, Santana e abriga famílias e indivíduos em situação de rua ou violência. 

 

O projeto Divas é sediado no instituto brasileiro do Terceiro Setor, localizado na Rua Ricardo Franco,197 – Imirim e tem o objetivo de acolher mulheres em tratamento oncológico, proporcionando ações que valorizem sua autoestima, fortaleça e contribua com o seu interior para enfrentamento da condição de estar com câncer.

 

Maquiagem para mulheres trans e projeto diva 12/04/2017

 

COORDENAÇÃO BERNARDO LINS